BlogNotícias

Fundador do CQCS analisa relação entre Corretores e tecnologia no 1° Congresso Norte de Corretores de Seguros

By 12/11/2018 No Comments

FONTE: CQCS | Ivan Netto

O fundador do CQCS, Gustavo Doria Filho, foi uma das atrações do segundo dia do 1° Congresso Norte de Corretores de Seguros. Realizado nos dias 7 e 8 de novembro, em Belém do Pará, o evento reuniu algumas das principais lideranças do mercado segurador, como os presidentes da Fenacor e CNseg, Armando Vergílio e Marcio Coriolano, respectivamente.

Ao lado do CEO da Thinkseg Group, André Gregori, e do diretor da Admseg, Rafael Sciancalepre, Doria participou do talk show “O Corretor de Seguros é avesso a inovação?”, no qual falou sobre os desafios enfrentados pelos corretores de seguros nas últimas décadas e a relação entre os profissionais da categoria e as inovações tecnológicas.

Em uma apresentação marcada pela interatividade com o público, o empreendedor baiano aproveitou a oportunidade para destacar a força e o pioneirismo dos corretores, que, ao longo dos últimos anos, venceram “ameaças”, como bancos, telemarketing, internet e, até mesmo, o seguro pirata.

“Os corretores são protagonistas desde o século 16, por isso acredito que ninguém vai destruir o corretor de seguros. Se hoje o seguro de automóvel é comprado, é porque um dia o corretor foi lá e vendeu, desenvolvendo um mercado que hoje está consolidado”, enfatizou.

O diretor executivo do CQCS analisou ainda o papel do corretor na sociedade: Nosso principal ativo é tempo, e nós precisamos de tempo para proteger os nossos clientes. Mas nós gastamos muito tempo cotando. Nós precisamos entender que somos os guardiães dos sonhos e conquistas da sociedade brasileira”, disse.

Após o painel, Doria agradeceu o convite para participar do evento e exaltou a 1ª edição do Congresso Norte de Corretores de Seguros. “Foi um evento incrível e o debate sobre a distribuição em tempos de Insurtech é sempre interessante. Os apocalípticos previram o fim da intermediação dos seguros e a morte do Corretor com a chegada da internet desde os anos 1990, mas, no ano de 2018, os corretores de seguros continuam sendo o principal e mais eficiente canal de distribuição de seguros no Brasil, Estados Unidos e outros mercados desenvolvidos”, afirmou.